Petróleo bate recorde e Opep não descarta barril a US$ 200

Barril da Opep atinge US$ 110,13, enquanto o contrato futuro negociado em NY fica em US$ 119,93

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

28 de abril de 2008 | 08h38

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Chakib Khelil, não descarta a possibilidade de o barril de petróleo atingir US$ 200, segundo publicou nesta segunda-feira, 28, em sua página na internet, o jornal estatal argelino El Moudjahid. A cesta de petróleo da Opep atingiu preço recorde nesta segunda de US$ 110,13 o barril. O contrato futuro do petróleo WTI, negociado no pregão eletrônico da Nymex, em Nova York, também estabeleceu novo recorde de preço nesta segunda, aos US$ 119,93 o barril.  Veja também:Acompanhe a variação do barril de petróleoO sobe e desce do dólar Veja os efeitos da desvalorização do dólar  Khelil não estabeleceu um prazo para que o preço do barril atinja esse patamar e disse que "os preços estão elevados em conseqüência da recessão nos EUA e da crise econômica que atinge muitos países, uma situação que influencia a queda do dólar". Segundo o presidente, toda a vez que o dólar cai 1%, o preço do barril sobe US$ 4 e reciprocamente. Mas Khelil afirmou que "se o dólar avançar 10%, pode-se apostar que os preços (do petróleo) irão cair em US$ 40,00" o barril.   O contrato futuro do petróleo WTI bateu recorde nesta segunda-feira diante da notícia de que o sistema britânico de oleoduto Fortis no Mar do Norte operado pela British Petroleum foi fechado. O sistema transporta cerca de 40% da produção britânica de petróleo e foi fechado em conseqüência de uma greve dos trabalhadores da refinaria de Grangemouth, na Escócia, iniciada no último domingo. Às 7h53 (de Brasília), o contrato de junho do WTI negociado na Nymex eletrônica subia 0,21% para US$ 118,77 o barril. O contrato do brent negociado na plataforma ICE operava em alta de 0,04% para US$ 116,39 o barril. O brent atingiu US$ 117,51 o barril na máxima intraday, pouco abaixo do recorde intraday estabelecido na sexta-feira aos US$ 117,56 o barril. Os preços são também sustentados por problemas na produção na Nigéria. Uma disputa salarial causa a paralisação da produção de 800 mil barris ao dia da unidade da Exxon Mobil na Nigéria. A agência Dow Jones estima que 58% ou 1,44 milhão de barris ao dia da produção total de petróleo da Nigéria, de 2,5 milhões de barris ao dia, esteja suspensa por conta de ofensivas de grupos militantes que são contra a exploração de petróleo por companhias estrangeiras. Análises técnicas mostram que o petróleo WTI poderá atingir US$ 124,34 o barril em breve, uma vez que a tendência de alta foi retomada com forte suporte de compra, disse o presidente da consultoria Cameron Hanover, Peter Beutel. "O rompimento do recorde da semana passada pode confirmar este objetivo ou pelo menos colocar os preços novamente na rota para que novos níveis sejam testados", disse. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.