Petróleo bate recorde e recua no encerramento do mercado

Os contratos futuros de petróleo cederam a uma onda de realização de lucro (venda com o objetivo de apurar o rendimento obtido na operação) e fecharam bem abaixo das novas máximas históricas registradas nos pregões em Nova York (New York Mercantile Exchange-Nymex) e Londres (International Petroleum Exchange-IPE). Os especuladores continuaram a impulsionar o mercado para cima, usando as preocupações relacionadas com o equilíbrio apertado de oferta e demanda global, segundo os operadores. O mercado, no entanto, permanece sendo de alta (bullish), com os operadores e analistas dizendo que os preços provavelmente vão ganhar impulso para novo território recorde nesta sexta-feira. Os preços do petróleo registraram novos níveis recordes na Nymex (US$ 57,60 o barril) e na IPE (US$ 56,05 o barril), apesar da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ter autorizado um aumento imediato de 500 mil barris/dia no teto de produção do grupo e outra elevação adicional de igual volume no curto prazo se os preços não cederem. Embora esse movimento tenha potencial para baixar o preços ao permitir o crescimento dos estoques, os especuladores questionam se a Opep tem capacidade para atender a crescente demanda global.Na Nymex, os contratos de petróleo para abril fecharam em US$ 56,40 o barril, em queda de US$ 0,06 (-0,11%); a mínima foi de US$ 56,15 e a máxima de US$ 57,60. Na IPE, os contratos de petróleo Brent para maio fecharam em US$ 55,06 o barril, em alta de US$ 0,18 (+0,33%); a mínima foi de US$ 54,91 e a máxima de US$ 56,05.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.