Petróleo bate recorde; Petrobras, de novo, segura Bolsa

Bolsa até chegou a cair 1,37%, mas as ações da estatal subiram e Bovespa fechou estável

Claudia Violante, da Agência Estado,

09 de maio de 2008 | 17h23

A Petrobras, mais uma vez, frustrou uma realização de lucros mais forte na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Ou seja, não ocorreu a esperada venda de ações para embolsar o ganho obtido nos últimos dias. O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na bolsa - até chegou a cair 1,37% na sessão, mas as ações da estatal, que recuaram na maior parte do tempo, viraram e sustentaram-se em elevação no final da tarde e garantiram uma queda tímida ao Ibovespa. Veja também:As grandes quedas e altas da Bolsa  Preço do petróleo em alta Petróleo fecha em alta após recorde acima de US$ 126  Assim, a Bolsa doméstica fechou a sexta-feira em baixa de apenas 0,11%, aos 69.645,7 pontos. Na mínima do dia, atingiu 68.764 pontos (-1,37%) e, na máxima, ficou estável, aos 69.722 pontos. No mês, os ganhos alcançam 2,62%, na semana, 0,40%, e, no ano, 9,02%. O volume financeiro foi muito mais fraco do que nos dias precedentes e totalizou apenas R$ 4,734 bilhões (preliminar). Petrobras O comportamento dos papéis da Petrobras hoje repetiu o da véspera, quando, apesar de a queda predominar durante quase todo o dia, o fechamento ficou positivo. O que tem garantido a recuperação dos papéis é a insistente alta do petróleo no mercado externo. Pela quinta sessão consecutiva, os contratos batem recordes, intraday (durante o dia) e de fechamento, que hoje significaram US$ 125,96 (+1,84%) e US$ 126,20, respectivamente. Como contraponto aos papéis, e justificativa para as vendas, está o balanço da estatal, esperado para segunda-feira, após o fechamento do mercado. Os investidores esperam números mais fracos do que as previsões e têm usado esta análise para justificar a realização de lucros. A projeção dos analistas ouvidos pelo Empresas & Setores é de que a estatal lucre R$ 5,524 bilhões no primeiro trimestre, 33,7% a mais do que no mesmo intervalo do ano passado. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras subiu 1,56% e as preferenciais (PN, sem direito a voto) subiram 1,49%. Outros setores Apesar da recuperação da Petrobras no final - e da Vale ter saído das mínimas - o Ibovespa não conseguiu virar porque a realização foi praticamente generalizada. O setor siderúrgico foi um dos pouquíssimos destaques de elevação, com o patrocínio da Anfavea. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores anunciou nesta sexta-feira que as vendas internas e a produção de veículos no Brasil bateram novo recorde em abril. Usiminas é a principal fornecedora de aço para a indústria automobilística no País. Suas ações PNA fecharam em alta de 2,32%. Gerdau, Metalúrgica Gerdau e CSN também avançaram, respectivamente 2,37%, 2,04% e 0,83%. O petróleo também foi uma das razões para a queda das bolsas norte-americanas, juntamente com o prejuízo da seguradora American International Group Inc. Dow Jones fechou em baixa de 0,94%, aos 12.745,9 pontos, e o S&P, de 0,67% e Nasdaq, 0,23%.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasPetróleoMercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.