Petróleo brent atinge nova máxima com declaração de Cháves

O contrato de abril do petróleo brent, negociado em Londres, atingiu nova máxima pós-guerra no Iraque, diante da ameaça feita ontem pelo presidente da Venezuela Hugo Chávez contra os EUA. Chávez disse que os EUA não terão "nem uma gota" do petróleo de seu país se Washington lançar qualquer ofensiva para invadir militarmente a Venezuela. Ele ressaltou ainda que os EUA possuem vários ativos na Venezuela, que poderiam ser confiscados. A Venezuela é o quinto maior exportador de petróleo do mundo e os EUA seu principal mercado. Às 9h07 (de Brasília), o contrato de abril valia US$ 32,58 o barril, alta de US$ 0,35 (1,09%). Na máxima, o contrato chegou a US$ 32,63 o barril. No pregão eletrônico da Nymex, o contrato de mesmo vencimento do cru subia US$ 0,21 (0,58%), para US$ 36,37 o barril. As declarações do presidente venezuelano foram transmitidas pela TV local ontem, quando ocorriam manifestações pedindo realização de referendo revogatório contra o presidente. Chávez disse que seus serviços de segurança interceptaram uma transmissão militar dos EUA no sábado, na qual os militares sugeriam haver um navio do exército norte-americano em direção ao país.

Agencia Estado,

01 Março 2004 | 09h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.