Petróleo cai 4,19% apesar de crescimento menor nos estoques

Dados mostram que estoques da commodity cresceram bem menos que o esperado na última semana

Agência Estado,

19 de março de 2008 | 12h49

Os contratos futuros de petróleo limitaram momentaneamente as perdas após a divulgação dos dados de estoques pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE), mas logo retomaram a queda forte nesta quarta-feira, 19. Os números semanais do DOE mostraram um aumento menor do que o esperado nos estoques de petróleo e um declínio acentuado nos estoques de gasolina.  Às 12h39 (de Brasília), o contrato para abril, que vence nesta quarta, estava em queda de US$ 4,51, ou 4,19%, em US$ 104,91 o barril na Nymex. O contrato mais ativo, de maio, caía US$ 4,20, ou 3,87%, para US$ 104,30 o barril. Os estoques de petróleo subiram 133 mil barris na semana passada, bem menos do que o aumento de 2,1 milhões de barris esperado pelos analistas. Os estoques de gasolina encerraram uma série de 18 semanas consecutivas de aumento com uma surpreendente queda de 3,4 milhões de barris. Os analistas previam crescimento de 300 mil barris de gasolina.  Tim Evans, analista de energia do Citigroup em Nova York, disse que embora "o sólido recuo nos estoques de destilados e gasolina sejam os destaques altistas (para os preços)", outros números do relatório semanal não dão tanta sustentação aos preços. Ele destacou que a demanda por gasolina caiu e, na média de quatro semanas, a demanda por destilados recuou 6,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.  "O tom geral (dos dados) foi bastante altista para os preços, mas o mercado não está realmente respondendo a isso", disse Gene McGillian, analista da corretora TFS Energy Futures. "Me pergunto se teremos mais uma pequena correção dos níveis recorde." O petróleo na Nymex fechou no recorde de US$ 110,33 o barril na semana passada e, na segunda-feira, atingiu o recorde intraday de US$ 111,80 o barril.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.