Petróleo cai com mais produção e estoque maior nos EUA

Os contratos futuros de petróleo ampliaram as perdas e caíram 1,70% em Nova York e 1,15% em Londres, com o crescimento dos estoques norte-americanos e os planos da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para ofertar mais petróleo.Num esforço para reduzir os preços, a Opep concordou em suspender as cotas de produção de petróleo em junho e elevar o teto de produção do grupo em cerca de 11% até agosto. O aumento de produção para 26 milhões de barris/dia, de 23,5 milhões de barris/dia ocorrerá em duas fases, com uma elevação de 2 milhões de barris/dia em junho e o restante em agosto.Embora esse aumento de produção anunciado sirva apenas para legitimar o atual excesso produzido pelo grupo, a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos (EAU) disseram que planejam um aumento real unilateral da produção de cerca de 1 milhão de barris/dia este mês. O fluxo de petróleo adicional, mais o considerável crescimento dos estoques comerciais norte-americanos de petróleo cru e gasolina, pressionaram os futuros de petróleo pelo segundo dia consecutivo.Para o vice-presidente senior de petróleo e gás natural da Oppenheimer and Co, Fadel Gheit, "os preços do petróleo terão a tendência de cair". "O mercado está dando à Opep o benefício da dúvida sobre se eles serão capazes de aumentar a produção". Embora a tendência no curto prazo seja de preços elevados por causa dos temores de novos ataques terroristas, Gheit disse que os fundamentos do mercado são favoráveis a um significativo declínio dos preços. "O mercado está superofertado. Há muita gasolina, há muito petróleo", disse.Em Nova York, os contratos de petróleo para julho fecharam em US$ 39,28 o barril, em queda -1,70%. No mercado de Londres, os contratos brent para julho fecharam em US$ 36,40 o barril, em queda de -1,15%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.