finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petróleo chegará a US$ 200 se EUA invadirem Irã, diz Chávez

Presidente venezuelano sugeriu que os países produtores destinem uma parte da produção para países pobres

Renato Martins, da Agência Estado,

13 de novembro de 2007 | 16h48

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse hoje que se os EUA invadirem o Irã os preços do petróleo podem saltar para até US$ 200,00 por barril. "Se o império decidir invadir o Irã, certamente o preço do petróleo pode chegar até US$ 200,00", disse Chávez em longa conferência de imprensa. Ele disse que seu governo está disposto a atuar como mediador para minimizar as tensões entre EUA e Irã, mas acrescentou que "até agora ninguém pediu nossa ajuda". O presidente reiterou ameaça que já fez antes ao repetir que a Venezuela cortará o fornecimento de petróleo para os EUA se for invadida pelos norte-americanos. O mesmo vale para o Irã, segundo Chávez, que também cortaria o fornecimento para os EUA em caso de invasão.Em condições normais, ele disse que o preço do petróleo deverá alcançar os US$ 100 por barril e estabilizar-se em torno desse nível, que qualificou como "preço justo". Ele acrescentou que os consumidores freqüentemente são prejudicados por repasses de custos por parte de intermediários, distribuidores e impostos, e que o petróleo a US$ 100 o barril deverá estimular os países desenvolvidos a moderarem seu consumo.Em entrevista a uma emissora de televisão, Chávez disse que fará uma série de propostas aos chefes de Estado dos demais países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), no fim desta semana em Riad (Arábia Saudita), entre elas uma nova maneira de medir o preço do petróleo e um mecanismo para proteger os países mais pobres de altas nos preços."Propomos mudar o método de medir os preços do petróleo. O petróleo do tipo WTI (West Texas Intermediate), negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), não reflete a realidade do mercado, porque o WTI representa uma proporção muito pequena da produção em geral", afirmou Chávez. Ele não deu detalhes sobre essa proposta, mas uma das idéias que deverão ser discutidas em Riad é a de substituir o dólar por uma cesta de moedas como referência para os preços do petróleo.O presidente venezuelano também disse que seu governo está elaborando uma proposta de "algum tipo de fórmula de proteção, para que os preços altos não prejudiquem os pobres". Ele sugeriu que os países produtores destinem uma parte da produção a ajudar os países mais pobres. As informações são da Dow Jones.    

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.