Petróleo da Opep sobe mais de meio dólar e chega aos US$ 60,90

O preço do barril de referência da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) prossegue em alta ao subir US$ 0,51 e chegar aos US$ 60,90, perto de sua máxima histórica de US$ 61,37, informou hoje o secretariado da organização em Viena. Desde o último dia 17, o petróleo cru da Opep aumentou 3,9% (US$ 2,32). Em dezembro, a cotação do petróleo do cartel se situava quase US$ 10 abaixo da atual marca.As tensões entre o Irã e a comunidade internacional por seu programa nuclear, a violência esporádica no Delta do rio Níger, na Nigéria, contra instalações petrolíferas e uma incomum onda de frio na Europa elevaram o nervosismo dos mercados frente à perspectiva de uma redução nas provisões. A isso se une a ameaça de atentados terroristas em solo americano realizada por Osama bin Laden em nome da Al Qaeda.Ainda assim, o preço do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) caiu na segunda-feira US$ 0,38 para US$ 68,10, devido ao chamado à calma do ministro saudita do Petróleo, Ali bin Ibrahim Al-Naimi, cujo país é o maior produtor de petróleo do mundo.Al-Naimi afirmou que seu país elevaria seu bombeamento para fazer frente a qualquer corte de provisões na Nigéria e que com a atual situação de preços elevados não se pode pedir uma diminuição da produção da Opep em sua próxima reunião em Viena, segundo o boletim de hoje da empresa de consultoria PVM.No próximo dia 31, em Viena, os ministros do petróleo dos 11 países da Opep vão reunir-se para tratar de sua política de fornecimento, que provavelmente se manterá sem mudanças, embora alguns países, entre eles o Irã, reivindiquem uma redução da oferta em previsão de uma queda da demanda nos próximos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.