Petróleo dispara com queda dos estoques de gasolina nos EUA

O efeito do aumento da oferta pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) nessa manhã se dissipa e os contratos futuros de petróleo sobem com força. O principal motivo para esta reação dos investidores foi o declínio dos estoques da gasolina nos Estados Unidos, que ofuscou outros números favoráveis dos relatórios de estoques do petróleo e derivados apontados na semana passada.Os estoques de petróleo bruto subiram 3,521 milhões de barris. A previsão dos analistas era de que haveria crescimento em média de 2,35 milhões de barris. Os estoques de destilados recuaram 2,202 milhões, enquanto a previsão média era de queda de 1,78 milhão de barris. Já os estoques de gasolina caíram 4,546 milhões de barris. A previsão média era queda de 940 mil barris. O uso da capacidade instalada das refinarias subiu para 91,6%, de 91,0%.Em Nova York, o contrato do petróleo atingiu nova máxima histórica, chegando operar em US$ 56,30 o barril na Nymex (bolsa eletrônica de Nova York). O nível recorde anterior era a US$ 55,67 o barril. Às 12h58 (horário de Brasília), o contrato valia US$ 56,10 o barril, alta de 1,82%. Em Londres, o contrato de abril subia 1,39% para US$ 54,60 o barril.O contrato do petróleo tipo brent para abril a US$ 54,75 por barril, na IPE (bolsa de Londres), derrubou o recorde anterior, que era de US$ 54,30, estabelecido em 9 de março, segundo a Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.