Petróleo dispara e mercado mantém pessimismo

O mercado deve encerrar a semana como começou: com pessimismo e poucos negócios. E os operadores avaliam que esse ambiente pode prevalecer até a próxima semana. A data em que se lembra o maior atentado terrorista da história - 11 de setembro - transformou-se num marco de apreensão para os investidores. Além disso, há o medo cada vez maior de uma nova guerra, envolvendo os EUA e o Iraque.O petróleo chegou esta manhã a barreira psicológica dos US$ 30,00 por barril em Nova York, com alta de 3,52%. Esses contratos chegaram a atingir US$ 30,19 por barril no pico da manhã, com alta de 4,17%. Embora o Iraque tenha a segunda maior reserva do produto no globo, o mercado não está preocupado com a suspensão das suas vendas, mas sim com a extensão do impacto que uma ação militar na região poderia causar.Nos Estados Unidos, as preparações para a guerra correm a todo vapor. O presidente norte-americano George W. Bush conversou ao telefone esta manhã com os líderes da França, Rússia e da China, membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, sobre o Iraque, sem receber nenhuma declaração de apoio. E há sinais de preparação logística para um conflito no Golfo Pérsico.Apesar da escalada dos preços do petróleo, os mercados acionários de Wall Street mostraram resistência. Os dados sobre o emprego em agosto nos EUA animaram. O Departamento do Trabalho informou que a taxa de desemprego caiu de 5,9% em julho para 5,7% em agosto, o menor nível em cinco meses nos EUA. As Bolsas européias seguiram coladas ao comportamento de Nova York, e na Ásia, foram registradas várias quedas.Nesse contexto, a melhora dos mercados acionários esta manhã no exterior praticamente passou despercebida pelos investidores brasileiros. Também não se criaram expectativas positivas sobre os próximos resultados de pesquisas eleitorais, como as que vinham sendo alimentadas até a semana passada. Os especialistas dizem que, dentro do atual cenário de tensões internacionais, só fatos concretos podem influenciar os negócios. No que diz respeito à eleição brasileira, o fato concreto seria a certeza de que José Serra (PSDB/PMDB), o favorito dos mercados passará para o segundo turno. Quanto ao leilão de troca de títulos cambiais, a expectativa é de que o Banco Central (BC) conseguiu rolar mais uma parte do vencimento do dia 11, chegando a pouco mais de 50% dos US$ 1,9 bilhão. Além disso, o leilão de linhas complementares de financiamento às exportações teve pouca demanda, acabando em US$ 15 milhões.MercadosÀs 15h, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,1740; em alta de 0,70% em relação às últimas operações de ontem. Ao longo do dia, o valor mínimo negociado foi de R$ 3,1650 e o máximo, de R$ 3,1900. Com o resultado apurado agora, o dólar acumula uma alta de 37,05% no ano e de 1,89% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 20,950% ao ano, frente a 20,740% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 apresentam taxas de 24,150% ao ano, frente a 23,800% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 0,21% em 9743 pontos e volume de negócios de cerca de R$ 240 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 28,25% em 2002 e de 0,14% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 13 apresentaram alta. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresenta alta de 0,85% (a 8435,5 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - sobe 3,62% (a 1296,23 pontos). O euro opera em queda de 0,80%; sendo negociado a US$ 0,9834. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em alta de 0,60% (372,58 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.