Petróleo em alta eleva salários de executivos

Remuneração nas petrolíferas sobe mais que a média

Der Spiegel, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2008 | 00h00

Os presidentes de empresas do setor energético receberam no ano passado aumentos muito superiores aos de outras indústrias. Mas seria uma remuneração pelo desempenho ou pelos preços altos do petróleo? Partindo de informações fornecidas pela Capital IQ, a revista Business Week pediu à empresa de pesquisa de remuneração executiva Equilar que analisasse a remuneração dos presidentes das 25 maiores empresas mundiais de capital aberto do setor do petróleo e do gás. O estudo da Equilar descobriu que, para os 12 presidentes das maiores empresas de petróleo de capital aberto sediadas nos Estados Unidos, a remuneração total média aumentou numa proporção mais de quatro vezes superior à remuneração dos executivos do índice das 500 empresas presentes no índice de ações da Standard & Poor?s.O salário dos executivos do petróleo está aumentando ao mesmo tempo em que os consumidores estão gastando mais em tudo, desde a gasolina até os alimentos, de entradas para o cinema a passagens de avião. O preço do petróleo bruto atingiu o seu valor de negociação mais alto em todos os tempos, US$ 139,89, no dia 16 de junho. No mesmo dia, o preço da gasolina atingiu outra marca histórica, fechando em US$ 4,08 por galão nos Estados Unidos.Alguns analistas dizem que esses executivos estão recebendo aumentos salariais com base em fatores fora do seu controle - como o rápido aumento do preço do petróleo -, ao invés de sua habilidade administrativa. "O desempenho superior das empresas de energia deve-se quase inteiramente à alta no preço do petróleo", diz Paul Hodgson, especialista em remuneração executiva da Corporate Library, uma organização de pesquisa em governo corporativo sediada em Portland, Maine. "Mas se negam sua responsabilidade pela alta nos preços do petróleo, por que então eles estão sendo recompensados por ela?"A Equilar descobriu que a remuneração para os presidentes dos 12 maiores nomes da indústria americana do petróleo aumentou 5,8% de 2006 para 2007, de uma média de US$ 14,6 milhões para uma média de US$ 15,4 milhões. A média das empresas do índice S&P 500 foi de 1,3%, de US$ 8,7 milhões para US$ 8,8 milhões. Nas empresas americanas estudadas, a remuneração inclui o salário-base, bônus, pagamentos relativos a planos de incentivo de curto e médio prazo, valor referente à data de concessão de premiações em ações e opções e outras formas de compensação.No topo da lista de remunerações de 2007 referente ao setor do petróleo ficou o presidente da Occidental Petroleum, Ray Irani. Ele recebeu um pacote de US$ 33,6 milhões em 2007. O presidente da maior empresa energética dos Estados Unidos recebeu o segundo maior pacote: Rex Tillerson, da ExxonMobil, ganhou US$ 21,6 milhões em 2007.O porta-voz da Occidental, Richard Kline, diz que o salário de Irani é merecido. "No ano passado, a empresa obteve imensos ganhos com um desempenho fora de série, o melhor do setor", diz Kline. O porta-voz da ExxonMobil, Alan Jeffers, destaca as declarações anuais dos procuradores da empresa, que afirmam que a remuneração dos executivos é aumentada para "atrair e manter os executivos a longo prazo, tendo em vista o interesse da corporação". O antecessor de Tillerson, Lee Raymond, recebeu uma pensão no valor de US$ 98,4 milhões quando se aposentou em 2006, parte de um pacote de remuneração e aposentadoria que totalizou quase US$ 400 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.