Petróleo em alta pode deixar mercado instável

O preço do petróleo já abriu em alta hoje no mercado internacional. No início da manhã, o barril do produto bruto do tipo Brent para entrega em novembro estava em alta de 0,23% em Londres, a US$ 30,12 por barril. De acordo, com apuração da editora Cynthia Decloedt, o mercado reflete uma preocupação em relação ao aumento da demanda pelo produto no hemisfério norte. Ninguém sabe se a liberação dos estoques estratégicos dos EUA será suficiente para atender a procura pelo petróleo.Nos Estados Unidos, a divulgação da taxa de desemprego em setembro - de 3,9% - pode mexer com o humor dos investidores. O mercado esperava 4,1% e o número final pode indicar que o resultado das empresas pode não ser tão frustrante quanto o que se estimava. Por outro lado, a desaceleração da economia norte-americana não está acontecendo da maneira pretendida pelo banco central norte-americano (FED), que vem aumentando a taxa de juros com o objetivo de conter os índices de inflação e frear o aquecimento econômico.O mercado financeiro deve reagir a esse cenário. Ontem, mesmo com o baixo desempenho da Nasdaq - bolsa norte-americana que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) chegou a subir 3,06%, sendo fortemente influenciada pela alta das ações da Cesp Paraná (veja mais informações no link abaixo). A expectativa para hoje é de instabilidade. Os investidores poderão aproveitar o ganho conseguido ontem e iniciar um movimento de venda dos papéis, o que provocaria queda na Bovespa. Há pouco, a Bolsa operava em queda de 0,18%. Em Nova York, a bolsa eletrônica opera em alta de 0,58% e o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na bolsa de Nova York - acumula alta de 0,18%.No mercado de câmbio, a cotação do dólar deve continuar seguindo o fluxo de recursos para o País. Como existe um equilíbrio de entradas e saídas de dólar, a tendência é que a moeda norte-americana permaneça estável. Porém, a alta do dólar pode provocar oscilações no mercado de câmbio. Ontem, com o mercado mais tranqüilo, a moeda norte-americana recuou 0,32%. No início dessa manhã, abriu em R$ 1,8520 - alta de 0,22%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - também podem refletir a instabilidade do mercado internacional. Há pouco, esses papéis pagavam juros de 16,910% ao ano, frente a 16,860% ao ano ontem.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2000 | 10h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.