Petróleo fecha com leve alta; greve no Brasil dá suporte

Os futuros do petróleo nos EstadosUnidos terminaram em leve alta na segunda-feira, em meio apreocupações com a oferta devido à greve dos petroleiros noBrasil. Traders destacaram ainda uma condição climática noAtlântico que pode se transformar em uma tempestade. Mais cedo, os futuros da commodity sofriam a pressão dodólar, que subiu com o otimismo relacionado ao plano de resgatefinanceiro ao setor hipotecário do governo dos EUA. Em uma sessão volátil na bolsa de Nova York, o contratoagosto avançou 0,10 dólar, ou 0,07 por cento, e fechou cotado a145,18 dólares o barril, tendo sido negociado entre 142,49 e146,37 dólares. Na sexta-feira o petróleo chegou a marcar recorde de 147,27dólares. "O dólar fez o petróleo cair 2 dólares mais cedo", disseGene McGillian, da Tradition Energy. "Mas a história climática surgiu, além da greve no Brasil,da Nigéria e da preocupação com Irã e Israel". Em Londres, o contrato agosto do Brent terminou com quedade 0,57 dólar, ou 0,4 por cento, a 143,92 dólares o barril,após ter sido negociado entre 142,25 e 145,45 dólares. (Por Gene Ramos e Robert Gibbons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.