coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Petróleo fecha em alta de 0,51% em Nova York

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nessa quinta-feira, impulsionados pelo aumento na demanda pela gasolina, já que o relatório do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) do governo americano demonstrou que houve queda de 1,514 milhão de barris nos estoques de gasolina, bem mais do que a retração de 200 mil barris prevista.

Agencia Estado

30 de maio de 2013 | 17h33

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para julho, subiu US$ 0,48 (0,51%), fechando a US$ 93,61 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril do petróleo do tipo Brent para julho teve retração de US$ 0,24 (0,23%) e fechou a US$ 102,19.

"Os investidores foram encorajados pelos números da gasolina e essa é a época da gasolina", disse Peter Donovan, vice-presidente da Vantage Trading. Os contratos futuros de gasolina reformulada (RBOB) para junho ganharam US$ 0,94, alta de 0,3%, cotados a US$ 2,8125 o galão.

O relatório do DOE, contudo, revelou aumento dos estoques de petróleo bruto dos EUA, que subiram 3 milhões de barris na semana encerrada em 24 de maio, para 397,552 milhões de barris, o maior nível em 82 anos. O aumento no estoque poderia pressionar os preços do petróleo, mas operadores dizem que estão mais focados na gasolina.

Os estoques de destilados avançaram 1,851 milhão de barris, para 120,663 milhões de barris, segundo o relatório do DOE, ante uma estimativa de aumento de 200 mil barris. A taxa de utilização da capacidade das refinarias caiu para 86,4%, de 87,3% na semana anterior. A previsão era de que a taxa avançaria para 87,7%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleopreçosalta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.