Petróleo fecha em novo preço recorde

O preço do petróleo voltou a bater recordes nesta sexta-feira por causa da inquietação em torno de uma possível escassez nos Estados Unidos. Depois de chegar a US$ 60 em Nova York, o barril encerrou o dia cotado US$ 59,84. Em Londres, o dia também foi de recorde: US$ 58,36, seguindo o mercado norte-americano.Segundo analistas, os preços na faixa de US$ 60 desafiam a Opep e ameaçam escapar de seu controle. "A atual crise está relacionada com a de 1998 e 1999, quando os preços desabaram para menos de US$ 10 por barril", disse Ehsan Ul-Haq, analista da consultoria PVM. "Estamos pagando a falta de investimentos durante e após essa crise porque os produtores perderam tanto dinheiro que não tiveram meios para investir no setor".Atualmente, os países produtores bombeiam quase ao limite máximo de sua capacidade de extração e as refinarias também trabalham na capacidade máxima, mas a oferta parece muito baixa se comparada ao crescimento da demanda mundial, impulsionada pelos Estados Unidos e China.O mercado mostrou-se indiferente ao aumento da oferta oficial em 1,8% aprovada pela Opep no último dia 15. O presidente da organização e ministro kuwaitiano de petróleo, xeque Ahmed Fahd al Sabah, anunciou que iniciará neste fim de semana consultas para aumentar a oferta em mais 500 mil barris/dia, para 28,5 milhões.De acordo com cálculos da PVM, neste momento a Opep tem só 1,5 milhão de barris/dia de "capacidade ociosa", ou seja, de extrair barris adicionais a curto prazo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.