Petróleo fecha em queda, mas ainda acima de US$ 100

Preocupações com a economia dos Estados Unidos pressionam preços da commodity para baixo

Patrícia Fortunato, da Agência Estado,

24 de março de 2008 | 17h46

Os contratos futuros de petróleo fecharam com queda de quase US$ 1,00 nesta segunda-feira, 24. As crescentes preocupações com a economia dos EUA pressionam a commodity, embora os preços mantenham-se acima dos US$ 100,00 por barril. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril WTI para maio recuou US$ 0,98 (1,00%), para 100,86 - por um breve período, o preço ficou abaixo da marca psicológica de US$ 100,00.  As perdas desta segunda ocorreram em uma sessão sem muito direcionamento, já que muitas praças européias não operaram ainda em conseqüência do feriado de Páscoa. Os investidores aguardam, ainda, a divulgação dos estoques semanais norte-americanos, na quarta-feira. Na máxima do dia, o petróleo chegou a US$ 102,42 devido à alta nos preços da gasolina e do óleo de aquecimento, mas a tendência de elevação não vingou. "(A situação) diz que não podemos sustentar nenhum rali aqui", afirmou Mike Fitzpatrick, analista da MF Global em Nova York. "A menos que haja uma virada marcante no sentimento do mercado sobre a economia, veremos a commodity sob pressão por algum tempo", completou. Os temores de que os problemas da economia norte-americana reduzirão a demanda por petróleo voltaram a ganhar força na semana passada, quando fundos se desfizeram de posições em commodities. O petróleo já recuou US$ 10,00 desde que atingiu o recorde de US$ 111,80 por barril poucos dias atrás. Embora a atual robustez da demanda chinesa possa compensar um desaquecimento nos EUA, Fitzpatrick reconheceu que isto não será o bastante para conter uma significativa reversão de preços.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise dos EUAPetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.