Petróleo fecha em queda pelo 2º dia seguido

Novos sinais de redução na demanda pela commodity e alta do dólar pressionam preços para baixo

Patrícia Fortunato, da Agência Estado,

10 de junho de 2008 | 17h07

O petróleo fechou em queda pela segunda sessão consecutiva, pressionado pela alta do dólar e por novos sinais de declínio na demanda. O barril para julho encerrou com queda de US$ 3,04 (-2,26%), em US$ 131,31 na New York Mercantile Exchange (Nymex); em Londres, o barril do tipo Brent caiu US$ 2,89, para US$ 131,02. Na última sexta-feira, o petróleo teve alta histórica de US$ 10,75 e fechou em US$ 138,54 (nível recorde).   Na Nymex, o petróleo variou mais de US$ 7,00 nesta terça-feira. Na máxima do dia, atingiu US$ 137,98 devido a temores com problemas de fornecimento. Mas a commodity não resistiu e caiu na esteira da valorização do dólar ante o euro.   "Agora o mercado está lidando com o dólar em alta", disse Mark Waggoner, presidente da corretora Excel Futures. "O dólar está subindo e as commodities em geral estão sendo pressionadas para baixa", declarou.   O declínio do dólar ao longo deste ano tem correção com a alta do petróleo. Enquanto os preços do petróleo disparam, a demanda dá sinais de arrefecimento. Tanto a Agência Internacional de Energia, conselheira das 27 nações mais desenvolvidas, quanto a Administração de Informação de Energia, ligada ao Departamento de Energia dos EUA, reduziram as previsões de consumo mundial em 2008.   A demanda por gasolina nos EUA, considerando-se as compras em postos de gasolina, caíram 3,8% na semana passada ante igual período de 2007, de acordo com relatório de uma divisão da MasterCard. Foi o sétimo declínio consecutivo.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.