Petróleo nos EUA atinge recorde com Líbia, Opep e dólar fraco

Os preços do petróleo nos EstadosUnidos saltaram para um novo recorde nesta quinta-feira,impulsionados por notícias de que a Líbia está avaliando umcorte de sua produção e um dólar fraquejante. Um comentário do presidente da Organização dos PaísesExportadores de Petróleo (Opep) de que os preços podem subirpara até 170 dólares por barril nos próximos meses tambémalimentou a alta da sessão. "Nós apenas rompemos o nível que tínhamos no dia", disseTom Bentz, analista da BNP Paribas Commodity Futures. "O dólar também esteve perto das mínimas do dia",acrescentou ele. A maior autoridade do petróleo da Líbia, Shokri Ghanem,afirmou nesta quinta-feira que o país não tem planos concretospara reduzir sua produção, mas está estudando a possibilidadeem resposta às ameaças dos Estados Unidos contra os paísesprodutores de petróleo. No sábado, Ghanem disse à Reuters que "alguns países podempensar em aumento da produção, mas alguns países podem pensarem cortes da produção".Na Nymex, o contrato agosto fechou em forte alta de 5,09dólares, ou 3,78 por cento, a 139,64 dólares por barril, apósser negociado entre 133,68 e 140,39 dólares por barril. A máxima da sessão apagou o antigo pico de 139,89 dólaresregistrada em 16 de junho e o fechamento bateu a alta anteriorde 138,54 dólares em 6 de junho. Em Londres, o contrato agosto do petróleo tipo Brent subiu5,50 dólares, ou 4,01 por cento, a 139,83 dólares, operandoentre 133,52 e o novo recorde a 140,56 dólares. (Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.