Petróleo nos EUA despenca mais de 5% por temores com demanda

Os futuros do petróleo bruto negociados em Nova York despencaram nesta quarta-feira, com uma previsão desanimadora do governo enquanto Wall Street voltava a cair, juntamente com outros mercados de equities pressionados pelas preocupações com a economia. O dólar mais forte também pressionou a commodity. Mas indicações de que a Opep está considerando novos cortes na produção se os preços continuarem caindo não contiveram as quedas do dia. "A cesta da Opep já caiu para 52,24 dólares e está muito perto do nível de 50 dólares que deve ser evitado. Isso é provavelmente o que está deixando a Opep em pânico, com o ministro do Petróleo da Líbia convocando uma possível reunião de emergência antes do próximo encontro agendado", disse Nauman Barakat, vice-presidente sênior da Macquarie Futures USA. "Eu diria que, se os números da Agência Internacional de Energia (AIE) fossem totalmente revistos e comparados aos do ano passado, isso resultaria, quase certamente, em uma reunião emergência do grupo." Na Nymex, o contrato dezembro desabou 3,17 dólares, ou 5,34 por cento, a 56,16 dólares por barril, sendo negociado entre 55,94 e 59,50 dólares. Mas após o fechamento, a mínima do dia se estendeu para 55,62 dólares, o menor valor desde que os preços atingiram 53,82 dólares no dia 30 de janeiro de 2007. Em Londres, o contrato dezembro do petróleo Brent teve baixa de 3,34 dólares, ou 6 por cento, para 52,37 dólares o barril, menor valor registrado desde a mínima de 51,75 no dia 18 de janeiro de 2007. O Brent foi negociado entre 51,78 e 55,92 dólares. (Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.