Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Petróleo nos EUA fecha em queda com aumento de estoques

Os futuros do petróleo bruto negociados nos Estados Unidos fecharam em queda nesta quarta-feira, com os dados de inventário mostrando um aumento maior que o esperado nos estoques, o que ofuscou uma queda generalizada na oferta de produtos destilados. Os persistentes temores econômicos -- realçados por novas quedas em Wall Street --, que levantaram mais preocupações com a demanda menor pelo petróleo, continuaram pressionando os futuros da commodity. "Estamos ainda em uma tendência de queda", disse Mark Waggoner, presidente da Excel Futures. Os futuros do óleo usado para aquecimento tiveram uma pequena valorização, graças ao tempo frio que chega ao nordeste dos EUA, maior mercado para o combustível de aquecimento doméstico. Na Nymex, o contrato dezembro, que vence na quinta-feira, caiu 77 centavos, ou 1,42 por cento, fechando a 53,62 dólares o barril, menor fechamento desde de 22 de janeiro de 2007, quando o barril fechou a 51,13 dólares. O contrato foi negociado entre 53,30 e 55,34 dólares. Em Londres, o contrato janeiro do petróleo Brent fechou em queda de 12 centavos, ou 0,23 por cento, a 51,72 dólares o barril. Sendo negociado entre 50,61 e 52,95 dólares. (Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)

REUTERS

19 de novembro de 2008 | 19h34

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.