Petróleo nos EUA sobe por dados econômicos e ataque na Nigéria

Os futuros do petróleo nos Estados Unidos subiram nesta quinta-feira, com bons dados econômicos sobre pedidos de auxílio-desemprego e do setor manufatureiro regional dos Estados Unidos ajudando a manter os preços acima de 71 dólares por barril.

REUTERS

18 de junho de 2009 | 18h11

Informações de que a Royal Dutch Shell suspendeu parte da produção de petróleo na Nigéria após ataque de militantes em seus oleodutos no Delta do Níger também deram suporte, disseram analistas.

Os mercados acionários dos EUA subiram, o que reavivou as esperanças de que a economia está se estabilizando.

"O mercado pareceu ter ganhado impulso com os novos ataques na Nigéria. Parece que as hostilidades estão aumentando e o mercado está preocupado com a oferta de lá", disse Gene McGillian, analista da Tradition Energy em Connecticut.

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o angolano Jose Botelho de Vasconcelos, disse que o grupo não precisará cortar mais a produção em 2009 se os preços da commodity permanecerem nos níveis atuais.

Mas Vasconcelos disse que os fundamentos dos preços de petróleo ainda não estão firmes o bastante a ponto de justificar o aumento recente nos preços.

Na Nymex, o petróleo para entrega em julho subiu 0,34 dólar, ou 0,48 por cento, a 71,37 dólares por barril.

O contrato julho vence na segunda-feira.

Em Londres, o petróleo Brent para entrega em agosto subiu 0,21 dólar, ou 0,3 por cento, a 71,06 dólares por barril.

(Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOFECHAALTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.