Petróleo opera em queda de olho em payroll negativo

Contratos operam em queda, por causa das expectativas de relatório fraco sobre postos de trabalho nos EUA

Nathália Ferreira, da Agência Estado

09 de janeiro de 2009 | 11h09

Os contratos futuros de petróleo  operam em queda, por causa das expectativas de um relatório fraco sobre postos de trabalho nos EUA e com a redução das preocupações geopolíticas. Segundo participantes do mercado, o volume de negócios está reduzido antes do dado norte-americano. Na mínima até o momento, o contrato fevereiro no pregão eletrônico da Nymex caiu abaixo de US$ 41, a US$ 40,87 por barril.  Às 10h55 (de Brasília), o petróleo para fevereiro na Nymex eletrônica recuava 1,22%, a US$ 41,19 por barril. Na plataforma ICE, o petróleo Brent exibia queda de 0,72%, a US$ 44,34 o barril. "Todos os mercados estão se preparando para um relatório (payroll) negativo", resumiu Olivier Jakob, diretor-gerente da consultoria Petromatrix. O dado de postos de trabalho nos EUA em dezembro será divulgado logo mais, às 11h30 (de Brasília), e a previsão média dos economistas é de corte de 525 mil vagas. No âmbito geopolítico, algumas ações diplomáticas amenizaram as preocupações dos investidores. Rússia e Ucrânia concordaram em enviar um grupo de monitoração internacional para observar o fluxo de gás via Ucrânia, depois da disputa sobre o preço do gás.  Sobre a Faixa de Gaza, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou ontem uma resolução pedindo cessar-fogo imediato na região. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.