Petróleo passa US$ 46 com tensão após explosão em refinaria

O contrato futuro do petróleo cru rompeu a marca de uS$ 46,00 o barril, atingindo a marca histórica de US$ 46,30 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Agora, o contrato vale US$ 45,85, com alta de 0,77%. Ao romper a difícil resistência dos US$ 45,70/45,90, o movimento desencadeou ordens de "buy stop" - compras programadas para quando os preços rompem algum patamar específico. Mais uma vez, a preocupação sobre os níveis apertados de oferta estavam por trás da alta. Segundo a agência Dow Jones, a explosão na refinaria da British Petroleum, no estado de Indiana, evidenciou essa preocupação. Segundo informações recentes, a explosão afetou uma unidade de hidrotratamentos da refinaria, que processa cerca de 100 mil barris por dia de gasolina. A refinaria de Whiting é a terceira maior dos EUA e tem quatro unidades de hidrotratamento. A refinaria tem uma capacidade de produção diária de 410 mil barris por dia. A notícia da explosão impulsionou os preços da gasolina na Costa do Golfo e na área de Chicago. O contrato futuro da gasolina para setembro subia 2,38%, para US$ 1,3290. A explosão foi o pretexto para que as compras se acelerassem nessa sexta-feira. Além disso, a incerteza no sul do Iraque continua, enquanto há uma crescente tensão sobre a possibilidade do resultado do referendo de domingo na Venezuela desencadear uma onda de violência no país, quinto maior produtor mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.