Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Petróleo pode prolongar desaceleração dos EUA, diz Paulson

Secretário do Tesouro reitera que oferta e demanda são forças dominantes na alta dos preços da commodity

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

24 de junho de 2008 | 08h37

O secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, alertou na última segunda-feira à noite que os crescentes preços de petróleo poderão prolongar a desaceleração econômica dos EUA. Em conversa com jornalistas, Paulson disse que não há respostas fáceis para o conjunto de forças que golpeiam os mercados financeiros e os consumidores ao redor do mundo, desde os elevados preços de energia e alimentos até o crescimento econômico anêmico.     Veja também: Preço do petróleo em alta Entenda os efeitos da crise nos Estados Unidos  Cronologia da crise financeira  "O tipo de grandes questões com as quais estamos lidando não se presta a correções de curto prazo", afirmou Paulson, reduzindo as expectativas para o encontro de ministros das Finanças das Américas e do Caribe, nesta terça em Cancún. "Isso é muito mais para dividir experiências e desenvolver alguns planos para seguir adiante", afirmou.Paulson reiterou a posição do governo Bush de que a oferta e a demanda são forças dominantes por trás dos preços crescentes de petróleo, afirmando que a capacidade de produção deve ser impulsionada e formas alternativas de energia desenvolvidas. "Quando as pessoas buscam correções rápidas, então elas não estão se concentrando na questão real e a questão real não irá embora, temos que lidar com ela", disse ele. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoPaulsonCrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.