Petróleo recua com expectativa de fim de greve na Nigéria

Os contratos de petróleo negociados no mercado futuro estão em queda com informações de que o Ministério Social e do Trabalho na Noruega convocou os representantes dos trabalhadores e das empresas de petróleo do país para um encontro, a fim de encerrar uma greve que dura quatro meses.Segundo a Associação dos Armadores da Noruega, o Ministério pode forçar os trabalhadores a retomarem suas atividades. Até agora, a greve atingiu somente as operações nas plataformas móveis de perfuração, reduzindo em apenas 55 mil barris a produção diária de 3,2 milhões de barris ao dia do país.A Noruega é o terceiro maior produtor do mundo. No entanto, no início do dia, representantes da Associação dos Armadores ameaçaram ampliar um locaute (greve de empresários), que já atinge parte das operações, interrompendo o total da produção de gás e petróleo até 15 de novembro.Às 12h17 (horário de Brasília), o contrato do petróleo cru caía US$ 0,65 (1,21%), para US$ 54,50 o barril na bolsa eletrônica de Nova York (Nymex). O petróleo tipo brent negociado em Londres recuava US$ 0,57 (1,11%), para US$ 50,69 o barril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.