finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petróleo recua com possível negociação na Nigéria

Os contratos de petróleo tipo cru negociados no mercado futuro cederam com informações de que representantes da milícia rebelde do delta do Niger devem negociar com o governo uma saída para encerrar o conflito que ameaça a produção das refinarias no delta do rio Níger.Às 9h00 (horário de Brasília), o contrato de novembro do petróleo cru caía US$ 0,17 (queda de 0,34%), para US$ 49,73 o barril. O contrato de mesmo vencimento do petróleo tipo brent recuava US$ 0,25 (queda de 0,54%), para US$ 46,20 o barril. A expectativa com a divulgação dos relatórios sobre os estoques de petróleo nos EUA, às 11h30 (de Brasília), pode trazer oscilação para o valor dos contratos de petróleo.NegociaçõesMujahid Dokubo-Asari, que lidera a milícia Força Voluntária do Povo do Delta do Niger, disse à agência Reuters que a ameaça feita ontem, de ofensiva contra as refinarias a partir de sexta-feira, será suspensa se for obtido acordo com o governo para autonomia política na região. Os rebeldes exigem ainda controle sobre as receitas com o petróleo produzido na região.De acordo com a agência EFE, o Comitê Assessor Presidencial (CAP), formado pela maior parte dos governadores dos Estados nigerianos e membros do gabinete de governo, pediram ao presidente que utilize a força militar necessária para "acabar" com as milícias. Os membros do CAP consideram Dokubo um delinqüente comum que se beneficia do roubo de petróleo e equipamento das vastas instalações que existem na região.Veja no gráfico abaixo a evolução do preço do petróleo negociado no mercado futuro de Nova York desde o início do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.