Petróleo recua forte; no Brasil, dólar fecha em leve alta

Os contratos futuros de petróleo caíram de forma acentuada em Nova York (New York Mercantile Exchange-Nymex) e Londres (International Petroleum Exchange-IPE). Em Nova York, os contratos de petróleo para novembro fecharam em US$ 53,67 o barril, em queda de US$ 1,26 (-2,29%); a mínima foi de US$ 53,12 e a máxima de US$ 54,88. Em Londres, os contratos de petróleo brent para dezembro fecharem em US$ 48,91 o barril, em queda de US$ 1,02 (-2,04%); a mínima foi de US$ 48,37 e a máxima de US$ 50,32.Durante a noite, nas transações do sistema eletrônico Access da Nymex, os contratos de petróleo para novembro chegaram a registrar a máxima recorde em US$ 55,33 o barril, mas os analistas disseram que os preços tinham se tornado insustentáveis, o que levou os investidores a realizarem lucro - venda do contrato para a obtenção do ganho obtido no período.Outro fator citado que contribuiu para o movimento de baixa foi a avaliação dada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), de que apesar do elevado preço do petróleo não estar moderando a demanda, a previsão de crescimento econômico mais lento que as expectativas no próximo ano e o impacto do preço do petróleo sobre o consumo irão desacelerar a demanda em 2005.Mercados no BrasilO dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,8590 na ponta de venda dos negócios, em alta de 0,07% em relação às últimas operações de sexta-feira. A moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 2,8630 e a mínima de R$ 2,8480. Com o resultado de hoje, o dólar registra queda de 1,52% no ano.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o dia em alta de 0,18%. No mercado de juros futuros, os contratos com vencimento em janeiro de 2005 pagam taxa de 16,780% ao ano, frente a 16,740% ao ano negociados na sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.