Petróleo reduz queda com recuo nos estoques de gasolina

Dados dos Estados Unidos mostram que estoques de petróleo do país subiram 2,4 milhões de barris na semana

Regina Cardeal, da Agência Estado,

23 de abril de 2008 | 13h20

Os contratos futuros de petróleo ensaiaram recuperação, mas continuam em baixa em relação ao fechamento de terça-feira, depois que os dados do governo dos Estados Unidos mostraram que os estoques de gasolina e destilados caíram mais do que o esperado na semana passada.   Veja também: Barril da Opep bate sétimo recorde histórico seguido  Petróleo bate recorde com sinais de demanda forte na China Estamos pagando por política de energia ineficaz, diz Bush Opep vai aumentar produção em 5 mi de barris diários até 2012   Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do petróleo para junho estava às 12h10 (de Brasília) em queda de 0,31%, em US$ 117,69 o barril. Antes da divulgação do relatório do Departamento de Energia (DOE), o petróleo estava em US$ 117,14. O contrato de junho passou à condição de próximo contrato futuro após o vencimento ontem do contrato de maio, que fechou no preço recorde de US$ 119,37 o barril. O Brent para junho estava em queda de 0,13%, em US$ 115,80 o barril, no mercado eletrônico ICE.   Os estoques de petróleo norte-americanos subiram 2,4 milhões de barris, para 316,1 milhões de barris, na semana encerrada em 18 de abril. Analistas consultados pela Dow Jones esperavam, em média, elevação de 1,1 milhão nos estoques. Já os estoques de gasolina caíram 3,2 milhões de barris, para 212,6 milhões de barris. Esperava-se queda de 2,1 milhões nos estoques. As reservas de destilados, que incluem diesel e óleo para calefação, recuaram 1,4 milhão de barris, para 104,7 milhões de barris, quando o esperado era queda de 300 mil barris. A taxa de utilização das refinarias subiu para 85,6%, de 81,4% na semana anterior.   "Eu diria que, no geral, o relatório favorece a alta (do petróleo)", disse Tom Bentz, corretor e analista do BNP Paribas Commodity Futures em Nova York.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.