Petróleo se aproxima dos US$ 94 com dólar fraco e México

Preços subiram mais de um terço desde meados de agosto após tensões entre a Turquia e rebeldes curdos

Reuters,

29 de outubro de 2007 | 18h45

Os preços dos contratos futuros de petróleo nos Estados Unidos bateram novo recorde nesta segunda-feira e foram negociados perto de US$ 94 por barril, por conta de uma interrupção na produção mexicana devido a uma tempestade e à fragilidade do dólar.   Na Nymex, em Nova York, o contrato dezembro subiu US$ 1,67 dólar e fechou cotado a US$ 93,53 por barril, tendo atingido a máxima história de US$ 93,80. O petróleo tipo Brent para dezembro, negociado em Londres, teve alta de US$ 1,63, para US$ 90,32.   A petrolífera estatal mexicana Pemex paralisou um quinto da produção do país e suspendeu a maior parte das exportações à medida que uma tempestade atingia portos em todo o país, grande fornecedor dos Estados Unidos.   Os preços do petróleo subiram mais de um terço desde meados de agosto após tensões entre a Turquia e rebeldes curdos na fronteira com o Iraque, desvalorização do dólar, menores taxas de juros e preocupações com estoques antes do inverno no Hemisfério Norte atraírem capital para o setor.   "Todos os novos fatores altistas empurram o petróleo dos EUA irracionalmente para perto dos US$ 100 por barril", relatou a SGCIB, acrescentando que os "preços cairão se o Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (FOMC, na sigla em inglês) não fizer nada".   O comitê se reunirá nos dias 30 e 31 de outubro, e o mercado está apostando em um novo corte na taxa de juros, por conta do aprofundamento da crise imobiliária nos EUA.   Expectativas de um novo corte pressionaram a baixa do dólar para um patamar recorde ante uma cesta de moedas e impulsionaram o preço das commodities que têm preços denominados em dólar.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.