Petróleo segue em alta mas recua das cotações recorde

Os contratos futuros de petróleo seguem em alta, mas reduzem os ganhos após atingirem novos recordes intraday (cotações antes do fechamento), em reação aos relatórios de petróleo bruto e derivados na semana passada nos EUA. O contrato do cru para novembro sobe 1%, para US$ 51,60 o barril, na New York Mercantile Exchange. A máxima histórica batida logo após a divulgação dos dados foi de US$ 51,80. Na International Petroleum Exchange, em Londres, o contrato do brent para novembro chegou a US$ 47,80, mas vale agora US$ 47,55, reduzindo a alta a 0,89%. No mercado acionário, o Dow Jones e o Nasdaq ampliaram a queda, na medida em que o petróleo subia. Mas o recuo do petróleo dos picos parecia dar espaço para uma recuperação. O Dow Jones recuava 0,02% e o Nasdaq, 0,20%. Os papéis da Merck respondiam pelo maior tombo no Dow Jones, com queda de 2,1%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.