Staff/Reuters
Staff/Reuters

coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Petróleo segue em recuperação após cotação negativa e mercados internacionais ensaiam alta

Maior parte das Bolsas de Ásia e Europa crescem, depois que, na segunda-feira, 20, commodity despencou para níveis negativos pela primeira vez na história; mas, com dados industriais da Alemanha divulgados, alguns índices passaram a cair

Sergio Caldas e Felipe Siqueira, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 06h27

As Bolsas de Ásia e Europa ensaiam um segundo dia consecutivo de altas após, no começo da semana, terem despencado por conta do colapso de preços do petróleo, cotado de maneira negativa (-US$ 37,63) pela primera vez na história.

Neste momento, a commodity, mesmo que ainda muito barata, se recupera do giganesco recuo. O índice WTI, negociado em Nova York, nos Estados Unidos, que ficou negativado, estava em US$ 15,28, por volta das 5h, no horário de Brasília, desta quinta-feira, 23. Já o Brent, cotado em Londres, na Inglaterra, estava, no mesmo horário, em US$ 21,97. 

Resumidamente, o que acontece com o petróleo está relacionado à demanda. Por conta da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, não se compra mais petróleo. Por conta disso, o estoque da commodity aumenta e isso faz o preço cair: se há pouca demanda para muita oferta, o preço despenca. Logo, como os estoques já estão lotados, por falta de negociações, a cotação ficou negativa, o que significa que, ao invés de se receber dinheiro para enviar petróleo, estava-se pagando para isso. 

Bolsas da Ásia  

As Bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em alta. A única exceção foi o mercado chinês, que teve redução de 0,19%. O Japão encabeça os crescimentos, com 1,52% de avanço no índice Nikkei em relação ao fechamento do dia anterior, seguido de Coreia do Sul, com 0,98% no Kospi, e Taiwan, 0,57%. Hong Kong teve desempenho positivo um pouco mais tímido, de 0,35%. A China recuou 0,19%. Na Oceania, o mercado da Austrália, principal da região, fechou de maneira estável, com leve tendência de queda (-0,02%). 

Bolsas da Europa 

Na Europa, as Bolsas iniciaram o dia com as negociações resultando em índices positivos, ampliando, em um primeiro momento, ganhos de quarta-feira, 22, em meio à recuperação do petróleo. Às 4h10 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,08%, a de Frankfurt avançava 0,22% e a de Paris se valorizava 0,94%. Em Milão, Madri e Lisboa, os ganhos eram de 0,84%, 0,78% e 0,90%, respectivamente. 

Porém, após divulgações de dados industriais da Alemanha, o mercado do velho continente se enfraqueceu. Os PMIs do país vieram mais fracos do que o esperado. Às 4h48 (de Brasília), a Bolsa de Frankfurt caía 0,60%, a de Londres recuava 0,47% e a de Paris cedia 0,26%. 

Petróleo 

Os contratos futuros do petróleo operam em forte alta na madrugada desta quinta-feira, ampliando os ganhos de quarta, depois de sofrerem queda históricas nos primeiros dois dias da semana.

O rali da commodity continua em meio a tensões entre EUA e Irã e com sinais de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) poderão aprofundar o corte na sua produção. O índice WTI, negociado em Nova York, nos Estados Unidos, que ficou negativado, estava em US$ 15,28, por volta das 5h, no horário de Brasília, desta quinta-feira, 23. Já o Brent, cotado em Londres, na Inglaterra, estava, no mesmo horário, em US$ 21,97.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.