Petróleo sobe após Iraque rejeitar exigência de Bush

Os futuros dos preços do petróleo subiram em Londres e em Nova York, depois de o Iraque rejeitar a exigência do presidente dos EUA, George W. Bush, de aceitar incondicionalmente a volta dos inspetores de armamentos da ONU ao país. Pela manhã, o vice-primeiro-ministro do Iraque, Tariq Aziz, disse à BBC que não aceita a volta incondicional dos inspetores da ONU, porque ela não impediria a agressão dos EUA. "O tema hoje foi a declaração de Aziz. Estou surpreso que os iraquianos não estejam sendo mais sutis, mais diplomáticos", disse o analista Tim Evans, da IFR Pegasus.Ontem, os futuros de petróleo haviam caído, depois de Bush sinalizar que vai trabalhar com a ONU na busca do desarmamento do Iraque. Hoje, o secretário de Estado, Colin Powell, disse que vai fazer consultas com representantes dos demais países membros do Conselho de Segurança da ONU, visando a produzir uma resolução do organismo que determine prazos para que o Iraque cumpra as exigências.Investidores disseram que a alta de hoje foi motivada também pela declaração do secretário-geral da Opep, Alvaro Silva de que não deverá haver dificuldades para que os países membros da organização cheguem a um consenso para manter os atuais níveis de produção na reunião da próxima quinta-feira. Outro informe dizia que a Arábia Saudita provavelmente vai acompanhar a posição majoritária na reunião.Na International Petroleum Exchange (IPE), em Londres, os contratos do petróleo do tipo Brent para outubro fecharam a US$ 28,31 por barril, em alta de US$ 0,58, no dia do vencimento. Os contratos do Brent para novembro fecharam a US$ 28,67 por barril, em alta de US$ 0,86.Na New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos de petróleo cru para outubro fecharam a US$ 29,81 por barril, em alta de US$ 0,96.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.