Petróleo sobe com Iraque e tentativa de seqüestro

Os contratos futuros do petróleo cru e brent estão em leve alta, mas abaixo das máximas atingidas mais cedo após as primeiras informações sobre tentativa de seqüestro de um vôo que saiu de Bombaim, na Índia, para a Ilha de Mahé, no arquipélago Sheicheles. Às 8h12 (de Brasília), o contrato do petróleo brent de outubro subia US$ 0,09 (0,32%), para US$ 28,38 em Londres; o contrato de mesmo vencimento do cru avançava US$ 0,03 (0,10%), para US$ 29,64 no pregão eletrônico da Nymex. Mais cedo, o contrato do brent operou em US$ 28,65 na máxima e o contrato do cru chegou a US$ 30,20 o barril. As declarações do primeiro-ministro britânico Tony Blair, após encontro sábado com o presidente norte-americano George W. Bush, e do vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, ontem, criaram ambiente para elevação dos preços do petróleo cru para acima do patamar de US$ 30,00 esta manhã. Cheney afirmou que os EUA possuem evidências de que Saddam Hussein procura "ativamente e agressivamente adquirir armas nucleares". Hoje, Bush reúne-se com o primeiro-ministro do Canadá e deverá discutir a necessidade de eventual ofensiva contra Bagdá. Jean Chrétien manisfestou na quinta-feira que precisará de evidências para apoiar qualquer operação militar dos EUA contra o Iraque. Os líderes das maiores potências européias também têm expressado cautela em relação a um ataque e defendido que tal decisão deve ser tomada no âmbito do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Bush deve discorrer sobre a eventual ameaça que Saddam Hussein representaria na quinta-feira na Assembléia Geral da ONU e exigir do grupo que mude sua postura em relação ao Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.