Petróleo sobe com notícia de ataque a poço no Iraque

Os contratos futuros do petróleo inverteram seu curso, com informações ainda não confirmadas de que rebeldes xiitas atearam fogo em um poço de petróleo no Iraque. Às 10h55 (horário de Brasília), o contrato de setembro do petróleo tipo brent caía para US$ 43,85 o barril em Londres, queda de US$ 0,03 (0,07%). O pregão eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex) estava fechado e o regular começa a operar às 11h (horário de Brasília). O brent superou US$ 44,00 o barril com a notícia, chegando a US$ 44,11 o barril. A informação sobre o ataque não foi confirmada.YukosO grupo petrolífero russo Yukos deve entrar com pedido de concordata nos próximos dias se as autoridades russas não reduzirem a pressão sobre a companhia, disse o diretor-financeiro da empresa, Bruce Misamore, em entrevista ontem a Financial Times.Segundo Misamore, as autoridades russas estão retendo mensalmente cerca de metade do fluxo de caixa da empresa, de US$ 1,8 bilhão, por meio do congelamento e arresto das contas da empresa e de suas subsidiárias."Se ficarmos insolventes por não termos recursos para pagar nossas contas, teremos de declarar concordata. Acredito que essa situação é muito provável. A concordata não é um cenário ruim, assumindo que tudo é feito de acordo com a lei", disse Misamore.O executivo afirmou que os bancos credores da Yukos já iniciaram o exercício de seus direitos, depois de enviarem notificação oficial de default (calote) à companhia, conseguindo cerca de US$ 40 milhões até o momento. De acordo com Misamore, esse montante deve pelo menos dobrar nas próximas semanas. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.