Petróleo tem queda nos EUA por dados de empregos e alta do dólar

Os futuros do petróleo nos Estados Unidos fecharam em queda após uma sessão volátil nesta sexta-feira, após a apreensão com o último relatório do governo norte-americano sobre o mercado de trabalho ter enfraquecido a alta registrada mais cedo no dia para o maior nível em sete meses, acima de 70 dólares por barril.

REUTERS

05 de junho de 2009 | 18h03

O relatório mostrou que, apesar de as perdas de empregos estarem diminuindo, o nível de desemprego atingiu o maior nível em quase 26 anos.

"Então, não, não foi tão ruim quanto o esperado, mas ainda foi muito ruim. A maneira como olhamos o mundo, há pelo menos um terço de um milhão de trabalhadores que não irão para o trabalho a cada dia, ou que planejarão almoços de negócios ou que tirarão férias", disse em uma pesquisa Peter Beutel, presidente da Cameron Hanover, em Connecticut.

O dólar subiu devido aos dados sobre o mercado de trabalho, e uma moeda norte-americana mais alta normalmente leva investidores de commodities negociadas na moeda a optarem por ativos alternativos.

Na Nymex, o petróleo para entrega em julho caiu 0,37 dólar, ou 0,54 por cento, a 68,44 dólares por barril.

O contrato foi negociado entre 67,54 dólares e 70,32 dólares, o maior valor intradia para o primeiro contrato desde 5 de novembro de 2008, quando chegou a ser negociado a 70,46 dólares.

Em Londres, o petróleo Brent para entrega em julho caiu 0,37 dólar, ou 0,54 por cento, a 68,34 dólares por barril.

(Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons0

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOFECHABAIXA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.