Petróleo ultrapassa US$ 48 com temores sobre Iraque

O contrato futuro do petróleo cruzou a fronteira do US$ 48,00 o barril e chegou a US$ 48,20 o barril, diminuindo a distância do nível de US$ 50, nos negócios fechados na sessão regular da New York Mercantile Exchange (Nymex). A forte tendência de alta é reflexo da persistente preocupação sobre a segurança do fornecimento do produto pelo Iraque.Por volta das 11h50, este contrato valia US$ 48,03 o barril, sustentando ainda uma alta de 1,61% sobre ontem. Na International Petroleum Exchange, o petróleo tipo brent sobe 1,44%, a US$ 43,65, após atingir a nova máxima de US$ 43,80.Uma acirrada batalha eclodiu em Najaf após o colapso das negociações de paz com o xiita Muqtada al-Sadr e tropas do governo provisório do Iraque aliadas às forças dos EUA. O clérigo xiíta Muqtada al-Sadr rejeitou o ultimato do governo iraquiano para desarmar sua milícia imediatamente e retirar-se, sem precondições, da mesquita sagrada do Imam Ali, disse um assessor do líder em Najaf, citando uma carta enviada por Al-Sadr. Somando-se às tensões, o primeiro-ministro iraquiano, Ayad Allawi, deu um último aviso para que as milícias se desarmem e desocupem a mesquita. As duas semanas de luta em Najaf já provocaram o fechamento de dutos exportadores importantes. Com a nova onda de violência, o mercado teme que haja uma paralisação total das exportações.Mas a recente alta do petróleo tem sido motivada não por uma escassez física do petróleo, mas sim por preocupações de que a Opep não tenha capacidade para preencher lacunas deixadas pelo Iraque. Essa preocupação tem imposto um prêmio de risco ao preço dos futuros, permitindo que analistas trabalhem com a hipótese de que haverá um estouro da bolha de preços do petróleo. As informações são da Dow Jones.Entenda as razões para a alta do petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.