Petróleo vai a US$ 140 durante o dia, mas fecha em US$ 139

Temores sobre oferta na Líbia e enfraquecimento do dólar alavancam preço da commodity no mercado de NY

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

26 de junho de 2008 | 17h21

Os contratos futuros de petróleo chegaram a romper a marca de US$ 140,00 por barril na New York Mercantile Exchange (Nymex) nesta quinta-feira, 26, atingindo a máxima intraday recorde de US$ 140,39 por barril nas transações do sistema eletrônico Globex. Os preços, segundo investidores e analistas, foram impulsionados pela fraqueza do dólar e pela ameaça da Líbia de cortar a produção, que desencadeou temores sobre a oferta da commodity. Embora os mercados de ações e de crédito estejam enfraquecidos, os futuros de petróleo acumulam neste ano um ganho de mais de 45% e os preços mais do que dobraram em comparação com os níveis de um ano atrás. Em sua trajetória de alta, o petróleo foi acompanhado pelos metais preciosos, como o ouro, que também subiu baseado na percepção de que o Fed não está com pressa para elevar o juro como muitos imaginavam antes. Depois da liquidação de quarta-feira, que foi desencadeada pelo inesperado aumento nos estoques comerciais dos EUA, os futuros de petróleo ganharam vigor com a alta do euro para nova máxima em três semanas frente ao dólar, de US$ 1,5771. Na Nymex, os contratos de petróleo para agosto fecharam a US$ 139,64 por barril, alta de US$ 5,09 (3,78%); a mínima foi de US$ 136,40 e a máxima de US$ 140,00. Nas transações eletrônicas do Globex, os contratos de petróleo para agosto oscilaram entre uma mínima de US$ 133,68 e máxima de US$ 140,39. Na ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para agosto fecharam a US$ 139,83 por barril, alta de US$ 5,50 (4,09%); a mínima foi de US$ 133,52 e a máxima de US$ 140,56.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.