Petróleo venezuelano fechará em US$ 60 o barril, diz Chávez

Valor é o dobro do calculado pelo governo para 2007; reservas provadas chegam a 100 bilhões

07 de outubro de 2007 | 19h21

A cesta de petróleo de exportação da Venezuela fechará o ano com um preço médio de US$ 60 dólares (dpb), previu neste domingo, 7, o presidente venezuelano, Hugo Chávez. O valor representa o dobro do que havia calculado o governo, 29 dpb, no orçamento fiscal para 2007. A Venezuela elevou também para 100 bilhões de barris suas reservas provadas de petróleo, dos mais de 300 bilhões que devem existir, segundo cálculos, tanto em terra firme quanto em suas águas territoriais. A reserva aumentou para 100 bilhões de barris após uma última certificação parcial de 12,4 bilhões na Faixa Petrolífera do Orinoco, no centro do país, informou em comunicado o Ministério do Poder Popular para a Energia e Petróleo (Menpet) venezuelano. Resta "certificar e quantificar mais de 200 bilhões de barris de petróleo", e com isso "as reservas petrolíferas da Venezuela superariam os 300 bilhões de barris, número que o ratificaria como o país com as maiores reservas de hidrocarbonetos líquidos no mundo", destacou o Menpet. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, estimou hoje durante seu programa dominical de rádio e televisão "Alô, presidente" que o preço médio do barril de exportação de seu país fechará este ano em US$ 60. O Menpet afirmou que o preço médio do barril do país perdeu US$ 0,87 e ficou em US$ 73,16 na semana passada, frente aos US$ 74,03 da média da semana anterior. Com isso, o preço médio acumulado durante o ano do petróleo venezuelano ficou em US$ 59,88 dólares, mais de US$ 3 acima da média registrada em 2006 (US$ 56,45) e mais de US$ 13 a mais que o registrado em 2005 (US$ 46,03). Os registros de preços anteriores do barril (159 litros) de petróleo venezuelano de exportação foram de US$ 32,88 em 2004, US$ 25,76 em 2003 e US$ 21,95 em 2002. O petróleo proporciona mais de 80% das divisas recebidas pela Venezuela e cerca da metade da receita do orçamento fiscal nacional, que o Governo de Chávez calculou para este ano em US$ 29 por barril, menos da metade do preço médio durante o ano. A Venezuela, quarto maior abastecedor de petróleo aos EUA, a cujo mercado destina cerca de 1,5 milhão de barris diários - aproximadamente metade de sua produção -, é o quinto maior exportador mundial de petróleo e o terceiro mais importante da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep). Chávez anunciou que em novembro assistirá na Arábia Saudita a uma cúpula de presidentes dos países da Opep para "defender o preço do petróleo", que deve continuar subindo até chegar a US$ 100 o barril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.