Petróleo volta a bater recorde de alta

Os contratos futuros de petróleo negociados em Nova York e em Londres retomaram a trajetória de alta e voltaram a fechar em novos recordes nesta quinta-feira. Com o salto de 3,69% hoje no mercado norte-americano, o petróleo cru chegou a US$ 44,41 o barril, reacendendo o debate sobre o possível impacto disso sobre a economia mundial. Já no mercado britânico o barril terminou em US$ 41,12, em alta de 3,58%.A valorização seguiu-se à notícia de que o Ministério da Justiça da Rússia retirou a permissão, concedida quarta-feira, para que a petrolífera Yukos recorra às contas bancárias congeladas para dar continuidade às atividades de produção e transporte. As autoridades russas alegaram que a permissão de ontem "não estava baseada na lei". A empresa deve US$ 3,4 bilhões em impostos atrasados desde 2000.Na opinião do diretor de estratégia de commodities do banco Société Générale em Nova York, Michael Guido, "ninguém vai vender nesse mercado tão logo". Para o analista sênior da Pioneer Futures em Nova York, Scott Myers, "o petróleo está subindo com a situação na Rússia e porque a Opep pode não estar produzindo o suficiente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.