Dayse Maria/Estadão 02/07/2021
Dayse Maria/Estadão 02/07/2021

Petrolífera portuguesa Galp fecha compra de projetos de energia solar na BA e no RN

Capacidade de produção de energia renovável da empresa aumentou, a partir dessa aquisição, para 4,7 gigawatts (GW); conta inclui ativos em Portugal, Espanha e no Brasil

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2021 | 07h00

RIO - A petrolífera portuguesa Galp fechou um contrato de aquisição e desenvolvimento de projetos solares no Brasil com capacidade total de 594 megawatt-pico (MWp). Com isso, cumpriu seu plano de expandir sua capacidade de geração de energias renováveis e de transformar o seu perfil de negócio, além de reduzir a pegada de carbono.

A operação envolve a aquisição de dois projetos solares em estado inicial de desenvolvimento na Bahia e no Rio Grande do Norte, com capacidades de 282 MWp e 312 MWp, respectivamente. A operação comercial está prevista para acontecer antes de 2025. 

A capacidade total de produção de energia renovável da empresa aumentou, a partir dessa aquisição, para 4,7 gigawatts (GW). Essa conta inclui o conjunto de ativos em Portugal, Espanha e no Brasil. A meta é ultrapassar a marca de 4 GW em operação até 2025 e 12 GW até 2030.

"Com estas transações, a Galp ganha acesso a ativos de elevada qualidade num país onde a empresa está presente há mais de 20 anos e que se encontra entre os dez principais países no mundo com maior procura de energia e com a ambição de duplicar a sua capacidade instalada atual de geração de solar e eólica para 40 GW em 2030", afirmou a Galp.

A empresa diz ainda que a aquisição faz parte da sua estratégia de se tornar mais competitiva na geração renovável e avançar na transição energética. A compra está alinhada às "orientações de alocação de capital e planos de diversificação geográfica apresentados em junho no Capital Markets Day", acrescenta. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.