Petroquímica Rio Polímeros não será afetada pela alta do gás

O aumento do preço do gás natural, anunciado pela Petrobras hoje pela manhã, não deve alterar em nada a situação da petroquímica. A Rio Polímeros, única do setor que é abastecida com o gás em vez de nafta, tem contrato com a Petrobras baseado nos preços internacionais."O nosso contrato prevê o reajuste mensal, de acordo com as oscilações do petróleo lá fora. Isso significa que temos sentido o impacto dos constantes aumentos, mas como a nafta também é reajustada desta maneira, a paridade entre ambos os combustíveis continua", disse o presidente da Riopol, João Brandão, que participou hoje de seminário sobre o setor petroquímico, realizado pela Câmara de Comércio Americano (Amcham).Brandão disse ainda que a empresa deve iniciar de fato sua produção de eteno a partir da próxima semana, cerca de dois meses após sua inauguração oficial. "Estamos em processo de partida, e a primeira linha de eteno deve ser colocada em operação na semana que vem, e logo ainda em agosto deveremos colocar a linha de polietileno", explicou. Segundo ele, a produção deve atingir 80% de sua capacidade total até o final do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.