Peugeot pode rever direitos trabalhistas

"Estamos muito inquietos", diz o trabalhador Severino Tabuas, da fábrica da Peugeot-Citroën na região da Galícia, Espanha. Ele se sente ameaçado, como outros 8,5 mil funcionários, pela revisão dos direitos trabalhistas em decorrência da crise financeira, que atinge em cheio a indústria automobilística. A produção da montadora francesa na Espanha deve diminuir em 2 milhões de unidades neste ano, 20% a menos que em 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.