PF acusa Dantas de comandar organização criminosa

O ex-banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, preso hoje pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Satiagraha (que significa resistência pacífica e silenciosa), é acusado de comandar uma organização criminosa, que, por meio de empresas de fachada, cometeria diversos crimes, sobretudo desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro. Ao todo, estão sendo cumpridos hoje 24 mandados de prisão e 56 de busca e apreensão em São Paulo, Rio, Brasília e Salvador. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo. A PF iniciou as investigações há quatro anos, como desdobramento do caso do mensalão. A partir de documentos enviados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para a Procuradoria da República no Estado de São Paulo, foi aberto um processo na 2ª Vara Criminal Federal. Na apuração, foram identificadas pessoas e empresas supostamente beneficiadas no esquema montado pelo empresário Marcos Valério para intermediar e desviar recursos públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.