PF começa a analisar material da Operação Chacal

O coordenador operacional da Polícia Federal, Romero Menezes, informou hoje que será iniciada imediatamente a perícia do material apreendido ontem na Operação Chacal e trazido hoje a Brasília, a começar pelo computador do Banco Opportunity. Segundo o delegado, isso ocorrerá por uma questão de bom sendo, para evitar prejuízos ao banco. Menezes, que acompanhou toda a operação, informou que esse primeiro carregamento chegado à capital federal contém apenas um terço do material apreendido nas 16 buscas realizadas em quatro Estados e no Distrito Federal. A parte restante apreendida foi do DF e virá num próximo carregamento, possivelmente amanhã.Menezes disse também que, só após a análise do material apreendido, será decidido quais pessoas terão prisão preventiva decretada, entre elas possivelmente o presidente do Grupo Opportunity e principal controlador da Brasil Telecom, Daniel Dantas, e a presidente desta operadora de telefonia, Carla Cicco.Com relação às cinco pessoas presas ontem, na Kroll, empresa acusada de fazer espionagem ilegal no Brasil, ele disse que, por enquanto, elas continuarão detidas até análise dos documentos apreendidos naquela empresa.Operação ChacalO objetivo da operação Chacal é apurar o caso de espionagem que envolve a multinacional especializada em investigações empresariais. A Kroll foi contratada pela Brasil Telecom, operadora administrada pelo Grupo Opportunity, para conseguir informações sobre a Telecom Itália, empresa com a qual disputava o controle da operadora de telefonia. Veja mais informações sobre o assunto nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.