Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

PF desmonta esquema de pirâmide financeira no RS

A Polícia Federal (PF) desarticulou hoje uma quadrilha que operava um sistema de pirâmide financeira no Rio Grande do Sul. Foram presos a líder do grupo, uma mulher de 62 anos que se apresentava como consultora, e outros três integrantes, todos em Porto Alegre. A corporação também cumpriu mandados de busca e apreensão de bens, armas e documentos em Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul e Rio Pardo. A operação recebeu o nome de M porque a letra está no início do nome de um dos envolvidos e também no do financista norte-americano Bernard Madoff, preso no final do ano passado por fraude semelhante, de volumes muito maiores.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

13 de maio de 2009 | 20h43

Segundo a PF, o grupo que operava no Rio Grande do Sul movimentou R$ 2 bilhões em cinco anos, causando prejuízos em pequenos poupadores e grandes empresários. Uma rede de captadores recebia comissões para atrair clientes, que entregavam dinheiro à organização mediante promessa de rendimentos superiores aos pagos pelo mercado financeiro. O grupo emprestava cobrando juros maiores ainda e ficava com a diferença.

Neste ano, por causa da crise financeira mundial, os novos clientes se tornaram escassos e houve uma corrida aos saques, que provocaram o colapso do sistema. As vítimas procuraram a polícia, que passou a investigar o caso. Os presos responderão por formação de quadrilha, estelionato, lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro nacional. Se forem condenados, eles podem pegar até 30 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
crimepirâmidePFRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.