PF e Receita investigam fraude de R$ 2 bi com álcool e açúcar

Operação Canabrava cumpre mandados de prisão em usinas suspeitas de vender álcool sem emitir nota fiscal

Paulo R. Zulino e Elvis Pereira, do estadao.com.br,

12 de junho de 2008 | 10h26

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, deflagrou nesta quinta-feira, 12, a Operação Canabrava. O objetivo é desarticular um esquema de sonegação de impostos no setor de açúcar e álcool. O trabalho de investigação, realizado pela Receita, apurou a existência de um esquema sofisticado de venda de álcool sem a emissão de notas fiscais, além da ocultação de valores, que dificultam o trabalho da fiscalização e, conseqüentemente, a arrecadação de tributos. Estima-se que a sonegação alcance R$ 2 bilhões.   Veja também:  As ações da Polícia Federal no governo Lula   A operação é realizada nas cidades de São Paulo, Araçatuba, Penápolis, Promissão, Avanhandava, Ipaussu, Guarujá, Martinópolis e São José do Rio Preto. A ação visa coletar documentos contábeis, livros fiscais e dados informatizados, que servirão de subsídios para futuras ações fiscais de apuração de tributos sonegados.   A ação envolve 180 servidores federais que cumprirão sete mandados judiciais de busca e apreensão e 30 mandados de prisão. Serão investigados ainda os crimes formação de quadrilha e falsidade ideológica.   De acordo com os primeiros relatos, as diligências em apartamentos e residências de usineiros seguem em São Paulo, Guarujá e em Sorocaba. Duas pessoas, ainda sem nome e acusações revelados, teriam sido presas, na usina Campestre, em Penápolis, e na usina Diana, em Avanhandava.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.