PF pede prorrogação de prisão dos detidos em Operação Cevada

A Polícia Federal (PF) decidiu pedir a prorrogação da prisão temporária das pessoas detidas na Operação Cevada, suspeitas de envolvimento com a sonegação no setor de bebidas, à 1ª Vara Federal de Itaboraí. O prazo inicial da prisão era de cinco dias e poderá ser prorrogado por igual período.Segundo o procurador do Ministério Público Federal (MPF) de Niterói, José Maurício Gonçalves, o objetivo da prisão temporária é colher o depoimento das pessoas detidas. O MPF vai instaurar processo criminal no caso e a Receita Federal fará uma ação fiscal, para determinar os valores devidos e que foram supostamente sonegados pela Schincariol.O superintendente da Receita Federal da 7ª Região (Rio e Espírito Santo), César Augusto Barbiero, informou nesta sexta que os documentos apreendidos na operação em outros estados começaram a chegar ao Rio. Ele não divulgou em que lugar serão guardados os documentos, mas informou que estão sendo tomadas medidas de segurança.A partir dos documentos apreendidos, os fiscais da Receita começarão o trabalho de definição dos créditos que deixaram de ser pagos, que poderão gerar autos de infração contra a cervejaria.O Tribunal Regional Federal (TRF) explicou que o processo está correndo em segredo de Justiça e limitou-se a informar ontem que os pedidos de habeas corpus impetrados não haviam sido julgados até o início da noite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.