PF prende 15 em operação contra crimes financeiros

Quadrilha fazia clientes investirem em ouro para ficar com recursos aplicados

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 16h50

Quinze pessoas foram presas pela Polícia Federal nesta quinta-feira, 12, suspeitas de integrar um esquema no qual empresas do Rio Grande do Sul atuavam como instituições financeiras sem autorização do Bando Central. O bando era investigado desde março do ano passado. As instituições captavam clientes e os faziam comprar ouro e aplicá-lo de acordo com um contrato parecido com o de uma conta poupança. Em determinado momento, apossava-se dos recursos aplicados. As principais vítimas eram instituições religiosas e de ensino. Segundo a PF, o grupo também contrabandeava ouro e moeda do Brasil para o Uruguai para liquidar operações de câmbio ilegal realizadas por doleiros de diversos Estados brasileiros, contando com o apoio de agentes financeiros do país vizinho. Estimativas da PF apontam que mais de R$ 40 milhões tenham sido movimentados no esquema. No último dia 7, o suposto líder da quadrilha, Alexander Dzioubanov, de 27 anos, foi preso em Jaguarão, no Rio Grande do Sul, quando transportava US$ 200 mil para o Uruguai numa BMW. Na mesma ocasião, a PF também deteve o braço direito de Dzioubanov: João Rodrigues do Carmo, de 47 anos. Cerca de 140 policiais participam da operação, intitulada de Rússia, para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão, no Estado do Rio Grande do Sul e de São Paulo. Os presos devem ser indiciados por funcionamento de instituição financeira sem autorização, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.