PF prende 18 pessoas no Sul por evasão de divisas

A Polícia Federal (PF) desarticulou ontem uma organização especializada no envio irregular de dinheiro para o exterior, no Rio Grande do Sul. Com mandados judiciais em mãos, 150 policias prenderam 18 pessoas ligadas a duas casas de câmbio - sócios, funcionários e agenciadores - e apreendeu pelo menos R$ 1 milhão em diversas moedas, além de documentos e computadores, em Porto Alegre, Canoas, Gravataí, Novo Hamburgo, Viamão e Guaiba. Os nomes dos suspeitos e das empresas não foram divulgados.Usando o sistema paralelo das casas de câmbio, que também mantinham operações legais, empresários de diversos ramos faziam importações fraudulentas e remessas e recebimentos não declarados de dinheiro. Nas importações, apenas parte da mercadoria era declarada à Receita Federal e paga regularmente. Muitas vezes, na mesma carga, o volume era maior que o registrado. A diferença era paga ao fornecedor com a remessa de valores "por fora" do sistema bancário.As transferências de valores das operações não declaradas eram feitas por um sistema de compensações conhecido como dólar cabo. Inicialmente, o empresário entregava ao doleiro o valor combinado com seu fornecedor no exterior. O doleiro, por sua vez, não remetia o dinheiro, mas acionava um correspondente que fazia o pagamento no destino indicado. Em troca, fazia os pagamentos determinados por seu correspondente dentro do País.O delegado Alexandre Isbarrola, chefe do Grupo de Repressão a Crimes Financeiros da PF no Rio Grande do Sul, disse que o sistema tem faces "extremamente danosas" à sociedade, entre as quais a sonegação de impostos e a consequente concorrência desleal com empresas regulares. Os presos responderão por crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro nacional, com penas de até 30 anos de reclusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.