Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

PF prende 25 pessoas em operação contra fraudadores do INSS

A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal, realiza na manhã desta quinta-feira, 19, em quatro Estados, a operação Anos Dourados contra fraudadores do INSS. Até às 11h da manhã, 25 pessoas foram detidas no Rio de Janeiro, Goiás, Pará e Rio Grande do Sul. Com elas, foram apreendidos malotes, mochilas e caixas com documentos.Ao todo, são 420 policiais federais e 20 analistas previdenciários trabalhando na operação. Eles trabalham com 69 mandados de prisão e 95 mandados de busca e apreensão é contra servidores da Previdência, mas a polícia também procura donos de cartórios, advogados e empresários.No Rio de Janeiro, as equipes trabalham na capital e nas cidades de Niterói, Nova Friburgo, Teresópolis, Araruama, Itaguaí, São Gonçalo, Marica, Magé, Volta Redonda, Belford Roxo, Nilópolis e Japeri.InvestigaçõesAs investigações tiveram início em fevereiro de 2006 e indicam que o prejuízo causado à Previdência Social, ao longo de cinco anos, seja de aproximadamente R$ 200 milhões.O esquema, que contava com cerca de cem pessoas, consistia na inserção fraudulenta de vínculo laboral para simular um suposto período contributivo, com o fim de obter benefício previdenciário; para isso os fraudadores utilizavam empresas que prestavam informações incorretas à Previdência Social. Foram suspensos 1.561 benefícios, impedindo o pagamento de cerca de R$ 4 milhões por mês, e foram congelados 1.318 vínculos empregatícios inseridos de maneira fraudulenta pela organização criminosa, os quais seriam utilizados futuramente para concessão de novas prestações irregulares.O nome Anos Dourados deve-se ao fato de a maioria dos investigados e dos beneficiários ter nascido nas décadas de 40 e 50; mas também deve-se aos anos de contribuição inseridos de forma irregular. Dourado, segundo a PF, também significa valor, que é o dinheiro subtraído dos contribuintes da Previdência.PrisãoEntre os presos pela PF nesta quinta-feira está o empresário Gabriel Khoury, de Londrina. A prisão foi determinada pelo juiz Eduardo Appio, da 1ª. Vara Criminal da Justiça Federal. Khoury foi condenado dia 13 a cinco anos e três meses de prisão por ter sonegado R$ 5,8 milhões em impostos como pessoa física entre 1998 e 1999. A sonegação foi comprovada, segundo a Receita Federal, por meio da análise das contas bancárias do empresário, que continham depósitos sem comprovação de origem.Em 2002 Khoury teve sua a prisão preventiva decretada por crime falimentar relacionado à indústria de roupas Confiança, pertencente à sua família, mas recorreu da sentença. Khoury e seis de seus irmãos foram relacionados em 2005 pela Procuradoria da Fazenda Nacional entre os cem maiores devedores de impostos do País.Esta matéria foi atualizada às 13h36 para acréscimo de informações.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2006 | 11h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.